Scram 411 chega ao Brasil. Confira: prešo, ficha tÚcnica e muito mais

A Royal Enfield Scram 411 Ú derivada da moto aventureira Himalayan, mas traz um visual jovial e despojado pelo prešo de R$ 22.490 + frete.

Por Thiago Dantas

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo.

Depois de um ano de espera, a Royal Enfield lança no mercado brasileiro a Scram 411. O modelo foi apresentado à imprensa em um passeio pelo Rio de Janeiro. 

 

Nesta reportagem vamos detalhar tudo sobre a Royal Enfield Scram 411 no Brasil: preço, cores, quando chega às concessionárias, primeiras impressões e o que muda em relação a Himalayan. Fique por dentro!

 
Foto: Divulgação Royal Enfield

 

Apresentação Royal Enfield Scram 411

 

A Scram 411 é montada na mesma base da Himalayan, a primeira moto aventureira da Royal Enfield. Porém, foi projetada para ser uma scrambler de estilo retrô e despojado.



A Scram 411 foi concebida para ser uma moto estilosa e versátil. Para ser pilotada facilmente no dia-a-dia e possibilitar ao piloto uma escapada no final de semana para uma estrada de terra. 

 

Por isso, para elaborar a Scram 411 a Royal Enfield fez o trabalho inverso de outras marcas na concepção de uma scrambler. Ao invés de pegar uma moto street e transformar em uma scrambler, a Royal Enfield utilizou como base o DNA off-road da Himalayan e fez alguns ajustes para a moto ficar mais street, e consequentemente, com uma pilotagem mais dinâmica.

 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 

Uma publicação compartilhada por MOTO.com.br (@moto.com.br)

 

O que muda da Himalayan para a Scram 411?

 

Listamos todas as diferenças da Scram 411 com a Himalayan. 


Design

A Himalayan apresenta um design mais "aventureiro", com uma aparência mais robusta, enquanto a Scram 411 tem um estilo mais retrô e elegante, inspirado nas motos de scrambler dos anos 1960.

 

Roda dianteira

Essa é a principal mudança entre as duas motos. A Scram 411 vem equipada com roda aro 19, enquanto a Himalayan utiliza roda aro 21. Ambas vestem pneus de uso misto. 

 

Suspensão dianteira

A Scram 411 tem uma suspensão 10mm mais curta que a Himalyan, são 190 mm contra 200mm, respectivamente. Na traseira não tem alteração, as duas contam com monoamortecedor de 180mm.

 

Guidão

O guidão da Scram 411 está mais próximo do piloto para entregar mais conforto na pilotagem diária. 

 

 

Farol

A Scram 411 recebe uma nova carenagem no farol. Outra diferença é que o farol da Scram se move junto com o guidão, enquanto o farol da Himalayan é fixo.

 

Painel

Sai de cena aquele painel completo (até com bussola) da Himalayan e entra em cena um painel simples na Scram 411,  que mistura ponteiro analógico com uma pequena tela de LCD com as informações de hodômetro, trip a, trip b, marcha engatada e marcador de combustível.

 

Novas carenagens laterais

A Royal Enfield retirou a proteção do tanque da Himalayan, colocando uma nova carenagem próximo a parte inferior do tanque. 

 

Banco

O banco divido da Himalayan deu lugar a um banco inteiriço de dois andares da Scram 411

 

Alça do garupa

Para um visual mais clean, a Scram 411 ganhou uma nova alça do garupa sem o bagageiro presente na Himalayan.

 

Mas, o que isso muda na pilotagem da nova Scram 411? Confira o que achamos no nosso primeiro contato.

 

Primeiras Impressões -  Test Ride Scram 411

 

Para conhecer a nova Scram 411, a Royal Enfield programou um Test Ride pelo Rio de Janeiro. 

Saímos da concessionária Royal Enfield Botafogo e rodamos até a Praia de Grumari. Neste roteiro podemos testar a Scram 411 no meio do trânsito intenso de uma capital, passando por serra com curvas de alta e baixa velocidade, estrada de paralelepípedos e rolou até um areião, para ver como a Scram 411 se comporta no off-road.


Pilotagem está mais ágil e dinâmica na Scram 411 - Foto: Thiago Dantas

 

Logo de saída, já foi possível notar que a pilotagem da Scram 411 é fácil e ágil. Desviar do trânsito caótico do Rio de Janeiro foi tranquilo, pois a Scram 411 respondia rapidamente as mudanças de direção. 

Para ganhar uma pilotagem mais dinâmica, a Scram 411 vem equipada com uma roda aro 19, o guidão foi reposicionado para mais perto do piloto e ela está mais leve, 5 kg a menos que a Himalayan. E para facilitar ainda mais o deslocamento diário, o assento está apenas 795mm do solo.

Além disso, a Scram 411conta com freios ABS de dois canais com disco de 300 mm (dianteira) e 240 mm (traseira), o que permite frear com segurança. É importante lembrar que a Scram 411 não permite desligar o ABS da roda traseira, diferente da Himalayan que possui essa opção. 


Serão oferecidas 7 opções de cores para a nova Scram  no Brasil - Foto: Divulgação Royal Enfield

 

Depois de sair da cidade, pegamos a via costeira até a serra, onde foi possível sentir a moto na estrada. 

A Scram 411 e a Himalayan compartilham o mesmo chassi e o motor monocilíndrico de 411 cc, refrigerado a ar, que produz  24,3 hp de potência a 6.500 rpm e 32 Nm de torque entre 4.000 e 4.500 rpm. Ele possui um entrega de torque linear que aliado com câmbio de 5 velocidade permite uma tocada suave sem tanta troca de marchas na cidade e proporciona uma viagem tranquila nas estradas. O tanque com capacidade de 15 litros também é compartilhado entre as duas motocicletas da Royal Enfield.

 
Praia de Grumari - Foto: Thiago Dantas

Chegando na Praia de Grumari, passamos por uma faixa de paralelepípedos para testar a suspensão. A Scram 411 vem com garfo telescópico, de 41 mm de diâmetro com curso de 190 mm na dianteira, enquanto na traseira possui monoamortecedor com curso de 180 mm. Mesmo perdendo 10 mm de curso da suspensão, a moto se mostrou estável e confortável ao andar no piso acidentado. 

 

E para fechar o passeio enfrentamos um off-road com direito a um areião e ali, o DNA aventureiro da Himalayan fez toda a diferença. A moto equipada com pneus de uso misto, conseguiu vencer esse desafio facilmente. 

 

O banco e o tanque permitem encaixar o joelho perfeitamente, garantindo maior segurança na pilotagem de pé. Eu, com mais de 1,80 de pé, preferi a pegada da Himalayan, não que a Scram 411 seja ruim, apenas fiquei um pouco mais encurvado por causa do guidão mais baixo.  

 

Cores e preços

 

No Brasil, a Royal Enfield Scram 411 está disponível em 7 cores sendo elas:

 

  • Graphite Yellow, 
  • Graphite Red, 
  • Graphite Blue, 
  • Skyline Blue, 
  • Blazing Black, 
  • White Flame,
  • Silver Spirit. 

 

 

Para dar um toque único para a Scram 411, a Royal Enfield também oferece a linha de acessórios originais da marca, como malas laterais, retrovisores, entre outros itens de personalização.

 

O preço de lançamento é de R$ 22.490 + frete. Com garantia de 3 anos e pacote de manutenção até 30 mil km. O modelo é mais um da marca a sair da linha de montagem de Manaus (AM), inaugurada no final de 2022. As pré-venda tem início já neste sábado (30/04), pelo site https://royalenfieldscram.com.br/



Conclusão

 

A proposta da Scram 411 é atingir um público jovem que procura uma moto versátil, confortável, estilosa e econômica para a cidade, mas que consiga encarar qualquer desafio divertido aos finais de semana, como ir visitar uma cachoeira ou montanha. 

 

Pelo preço R$22.490, a Scram 411 é uma moto divertida e justa. Se torna uma boa opção de compra para quem deseja uma moto diária, mas quer começar a praticar um off-road nos finais de semana sem medo. Pois, o motor tem um torque linear, que não vai te causar sustos, e a altura relativamente baixa do assento até o chão, proporciona maior confiança na pilotagem.

 

FICHA TÉCNICA: Royal Enfield Scram 411 (BRASIL)

PREÇO: R$ 22.490 + frete

MOTOR: Monocilíndrico, 4 tempos, SOHC, refrigerado a ar

CILINDRADA: 411cc

ALIMENTAÇÃO: Injeção eletrônica

COMBUSTÍVEL: Gasolina

POTÊNCIA: 24,3 hp a 6.500 rpm 

TORQUE: 32 Nm entre 4.000 e 4.500 rpm

DIÂMETRO x CURSO: 78 mm x 86 mm

TRANSMISSÃO: Manual de 5 marchas

COMPRIMENTO: 2.160 mm

LARGURA: 840 mm

ALTURA: 1.165 mm

ENTRE-EIXOS: 1.455 mm

DISTÂNCIA DO SOLO: 200 mm

ALTURA DO ASSENTO: 795 mm

CHASSI: Tubular de berço duplo

PESO SEM COMBUSTÍVEL: 185 kg

PESO EM ORDEM DE MARCHA: 194 kg

TANQUE: 15 litros

FREIOS: ABS

FREIO DIANTEIRO: Disco de 300 mm

FREIO TRASEIRO: Disco de 240 mm

PNEU DIANTEIRO: 100/90 - 19

PNEU TRASEIRO: 120/90 - 17

SUSPENSÃO DIANTEIRA (Curso): Telescópica, 41 mm. Curso de 190 mm

SUSPENSÃO TRASEIRA (Curso): Braço oscilante com amortecodor hidráulico do tipo Linkpage Mono Shock. Curso de 180 mm.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br